domingo, 14 de setembro de 2008

Sentido em mim


“Esta noite dormi bem
- sono continuado –
mas acordei cansada.”
Durmo toda a noite,
se o sono vem,
e, ainda assim,
acordo acabada.
E passo o dia, adormecida,
sem sono para dormir.
Isso cansa.
Não sinto a vida…
Difícil mesmo é definir
qual o sonho de confiança:
se o da noite, calmo e frio;
se o do dia, mais frio ainda.
Então sonho, escrevendo
ou escrevo, sonhando…
Mas continua um vazio!
Acordo hoje, menina e linda,
na ternura a que me rendo
(estou na noite, a divagar)
desiludo-me… e abrando.
Escrever o quê?
…se mal consigo pensar!
“Esta noite dormi mal
- sono retalhado –
e fiquei necessitada”.
Uso a memória, sem certeza
para acordar antes do fim.
Quero invocar a natureza,
despertar o sentido em mim.


14 de Agosto, 2008

1 comentário:

P. disse...

Por mais que tente não encontro palavras... Não consigo parar de ler, de me surpreender!
Não te admirasse já demais, agora superaste todas as minhas expectativas!
Escreves com toda a alma de um poeta! E é tao bom ler-te...