terça-feira, 28 de outubro de 2008

Monotonia de um desabafo


De ti, nada espero.
Uma mão,
ou um chão,
Companhia.

Em ti, enumero
cada não
feito acção,
Cobardia.

Para ti, adultero
a visão
mas em vão,
Alquimia.

Por ti, exagero.
Aflição,
solidão,
Ventania.

Sem ti, regenero.
Corpo são,
coração,
Poesia!


27 de Outubro, 2008

5 comentários:

sfich disse...

"Meter la cuchara"
Em bom português, meter foice em seara alheia

Altair, linda
A MONOTONIA DE UM DESABAFO, surtiu
Poesia porque tinha que surtir!...
Posto que, como bem saberás (a frase é tua) por mais que te esmeres, não consegues fazer feio.

Agora é que vai a minha "cuchara":
Vi uma menina no escorrega a fitar o baloiço, esperando que este ficasse livre...

Pat disse...

Há tanto tempo que não vinha ao teu cantinho...
É impossível vir aqui e não dizer o quanto te admiro! Cada vez mais! =)
Tens o dom das palavras! A inteligência e a sensibilidade... E digo-o de coração!
Um beijinho da Pat *

Anónimo disse...

NESTE PAREI, vou ler outra vez e mais uma porque vai ser necessario, a reflexao digo te depois pois n tenho a segurança de expor o meu pensamento!

Anónimo disse...

dinha de escrever algo mais sobre este, onde foste buscar este? foi mesmo la no cantinho! ....e pronto tenho de ser anonimo mas sou o galvas este e o outro arriba , mas tenhoperder tempo em fazer inscriçao e essas cenas e pronto , vai beijos continua.....e ja verificar a palavra e uma perda de tempo

Rogério Beça disse...

Perdi tempo e ler-te e ganhei qualquer coisa...
Acompanhando o teu dom.

Beijo.