sábado, 6 de dezembro de 2008

Amores


De que valem amores
de amores que desperto…
Se é em mim que te sinto…
Quão mais longe, mais perto!

Pensar-te,
mais que ter-te,
é ter como inerte
tudo o resto que quero.


6 de Dezembro de 2008

7 comentários:

sfich disse...

...Se A'mendoeira se enfeita
dom candura perfumada,
não é para ficar desfeita,
cair por terra e mais nada...

ATRIBUTOS disse...

Vim cá ter por um acaso.... gostei e vou voltar.

Cumprimentos

JM

Luisa Raposo disse...

Adorei este teu cantinho, perdi-me nos r ecantos da tua poesia e prometo que vou voltar,

Um beijo

Luisa Raposo

José Manuel Brazão disse...

Gostei do poema" Já não te lia nem "via" há muito tempo!!!
Pensar-te,
mais que ter-te,
é ter como inerte
tudo o resto que quero."

Se queres não te distancies nem o percas de vista"

Beijos com carinho

AM disse...

Diana,

É um prazer voltar a estar consigo, junto da sua bela poesia em contacto com a sua sublime forma de escrever.
Gostei imenso de por aqui passar e vou voltar. O tempo livre não é muito, mas dentro do possível vou querer estar aqui mais vezes.
Aproveito para lhe endereçar meus votos de Boas Festas e de um Bom Ano de 2009, com muitos êxitos.

Beijinhos
António M.R. Martins

O mar me encanta completamente... disse...

Lindos versos

Poema de muita sensibilidade, de tão lindo, chega ser quase uma utopia de corações apaixonados.
Em cada coração existe um crepúsculo repleto de memórias, vividas, sonhadas, e que ainda podem ser um dia vividas.

Deixo um beijo, e o desejo de um 2009 cheio de paz e luz para ti e os teus!!!

Glória

Anónimo disse...

Dianinha, gostei muito do blog e dos novos poemas. Beijinho
Conceição Roque Silveira