quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sorte


Não há alma mais prometida:
Enquanto vela amor veludo,
Parte pena pela partida.

Passado passa a resumo
Sem memória, som agudo.
Futuro, fogo feito fumo.

Vais-te e vai-se a minha sorte
Esvaneço, esvai-se tudo
Mesmo marasmo mas mais morte.


29 de Abril, 2009

3 comentários:

fatimatex disse...

Fiquei sem palavras...Simplesmente... lindo!!!

Um bjo

Fatima

Claudio Godi disse...

Que Óptimo que te encontrei! Você escreve muito bem e possui o dom da escrita para encantar todos nós. Poema sincero, lírico, possuindo profundidade sem ser dificil, Parabéns. Beijos e saudações de Godi.

António MR Martins disse...

Diana,

Continua a criar bela poesia.
É um prazer lê-la.

Beijinho
António MR Martins